E o pai? - (Sebo - Pequeno Defeito) 03

Disponibilidade: Esgotado

E o pai? - (Sebo - Pequeno Defeito) 03

Mais Visualizações

Detalhes

Título E o pai? - (Sebo - Pequeno Defeito) 03
Subtítulo Uma abordagem winnicottiana
Organizadora Claudia Dias Rosa
Edição 1ª edição
Ano de edição 2012
Coleção/Série Coleção Psicanálise Winnicottiana
Editora DWWeditorial
Assunto Psicanálise; Pai (Psicologia); Figura Paterna
Origem Nacional
Idioma Português
ISBN 9788562487262
Encadernação Brochura
Formato 14x21cm
Peso 500g
Páginas 336 págs.
Sobre o livro Importante por si só, o aprofundamento do tema do pai em Winnicott preenche uma lacuna e busca corrigir um equívoco existente nos estudos da obra do autor. Ainda que altamente relevante, a questão recebeu até o presente momento pouca atenção das pesquisas dedicadas à obra winnicottiana. A literatura secundária sobre Winnicott deu especial ênfase à relação mãe-bebê, justificável pela importância que o próprio autor dá ao assunto em suas formulações teóricas. Embora exista essa ênfase na provisão materna, Winnicott não deixou de tratar da questão do pai e da enorme importância e valor que sua presença, ações e falhas exercem durante toda a vida da criança, desde o momento da concepção, passando pelas fases iniciais – quando o pai, em conjunto com a mãe, forma o ambiente total no qual o bebê habita – e acompanhando todas as fases posteriores (concernimento, vida familiar, relações triangulares com base genital, adolescência etc.) do amadurecimento humano.
  Uma vez que Winnicott construiu novas bases teóricas para apoiar sua compreensão da natureza humana e da prática clínica, era natural que o papel do pai também se modificasse nesse novo quadro teórico, não se restringindo ao clássico interventor do estágio edípico, mas assumisse diferentes aspectos ao longo das fases do amadurecimento pessoal, de acordo com a crescente maturidade do indivíduo. Com efeito, antes de o pai surgir como um dos polos do triângulo edípico, ele já está presente, de diferentes maneiras, na vida do bebê. Mas não apenas: à luz do amadurecimento, em suas etapas mais primitivas, Winnicott redescreve a fase das relações triangulares e, nela, o papel do pai e as relações que caracterizam a situação edípica. O estágio edípico ou, na linguagem de Winnicott, o estágio das relações triangulares com base genital, não é mais pensado como o período no qual se constitui o psiquismo humano, sendo apenas uma etapa – da maior importância, é certo – entre as que compõem o processo de amadurecimento. A figura paterna será de importância capital na adolescência e na maturidade, quando o indivíduo humano fizer tentativas de fundar sua própria família e tornar-se membro ativo na vida social.
  O presente volume reúne artigos apresentados no XVII Colóquio Winnicott Internacional, realizado na PUC-SP em maio de 2012 com o tema “E o pai?”. O leitor encontrará nesta coletânea, sob diversos ângulos, um amplo panorama a respeito do tema do pai na obra de D. W. Winnicott. Cada um dos autores trouxe, à sua maneira, uma contribuição especial. Os artigos aqui reunidos, ao mesmo tempo que desenvolvem aspectos teóricos a respeito do assunto, utilizam casos clínicos como material de ilustração. Espera-se que esta compilação amplie os horizontes dos psicanalistas e demais interessados no tema, e sirva de incentivo e subsidio para pesquisas ulteriores.
Sobre a organizadora Psicóloga, doutora em Psicologia Clínica pela PUC-SP, membro do SBPW (Sociedade Brasileira de Psicanálise Winnicottiana), professora da Escola Winnicottiana de Psicanálise do Centro Winnicott de São Paulo, coordenadora do SAP (Serviço de Atendimento em Psicanálise) do Centro Winnicott de São Paulo e do Centro Winnicott de Campinas. 
Livro Novo, com pequeno defeito  
Estado do livro Pequeno buraco de traça na contracapa que passa por algumas páginas, mas não prejudica a leitura de modo geral. Veja detalhe em "Mais Visualizações" de imagem do livro. 

Tags do Produto

Compartilhe
Indique este produto